Prefeitura recebe permissão para usar área do AME Mais

Executivo Municipal agora aguarda a assinatura de um convênio que garanta a contrapartida do Governo do Estado

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Marcelo Fontes

Governador Márcio França e prefeito Nogueira durante o Agenda Ribeirão: Obra do AME depende da assinatura de convênio (foto: Weber Sian / A Cidade)
 

O prefeito Duarte Nogueira (PSDB) recebeu nesta quinta-feira (5), do Procurador Geral do Estado, de São Paulo, Luciano Alves Rossato, o termo de permissão de uso da área que vai abrigar o Ambulatório Médico de Especialidades, o AME Mais.  

Na prática, esse documento permite que a prefeitura inicie o trâmite burocrático par licitar a construção do prédio. A obra está orçada em R$ 10 milhões e deve demorar dois anos. O Executivo Municipal, porém, ainda aguarda a assinatura de um convênio com a Secretaria Estadual da Saúde, que vai garantir que o local seja equipado e gerenciado pelo Governo de São Paulo.  

"Já conversei com o dr. Sandro (Scarpelini, secretário municipal da Saúde) e agora aguardamos a convênio. Após o prédio ficar pronto, esse convênio dá a garantir que o Estado vai colocar o AME para funcionar assim como acontece em várias cidades de São Paulo", disse o prefeito Duarte Nogueira.  

A área, de 17,2 mil m², que vai abrigar o AME fica na Vila Virgínia, zona Oeste, ao lado da Fatec entre as ruas Visconde de Inhomirim e Monteiro Lobato. O AME é uma promessa de campanha do prefeito Nogueira.  

Estado  

O ACidade ON questionou, via e-mail, a Secretaria Estadual da Saúde sobre o convênio do AME Mais e aguarda o retorno. Assim que a resposta chegar, a reportagem será atualizada. 

Há duas semanas, através de nota da assessoria, o governado Márcio França (PSB) garantiu o AME para Ribeirão Preto. "A cidade ganhará um reforço na área da saúde com um novo Ambulatório Médico de Especialidades. O terreno já foi escolhido e fica ao lado da Fatec, no bairro Vila Virgínia. A construção ficará a cargo do município, que vai licitar e contratar a empresa responsável pelas obras. O Estado irá comprar os equipamentos e custear o ambulatório", informou o Estado, há duas semanas.


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.