Homem é acusado de espancar ex-mulher com socos e chutes por causa de moto

Vítima afirma que ex-marido invadiu a casa dela na madrugada para levar o veículo que lhe pertence

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Da reportagem

Mulher é agredida por ex-companheiro nos Campos Elíseos
 

Um homem de 39 anos é acusado invadir a casa da ex-mulher, espanca-la e roubar dois celulares e R$ 230, na madrugada de sexta-feira no bairro Campos Elíseos, zona Norte de Ribeirão Preto.  

A operadora de caixa de 42 anos, afirmou que o ex-marido R.L.R. teria batido com o capacete em sua cabeça seis vezes. Além disso, o homem ainda teria lhe feito ameaças de morte e lhe dado murros, socos e chutes.  

Segundo a vítima, as agressões foram motivadas pelo fato de o agressor querer ficar com a motocicleta dela. A mulher chegou a entregar o veículo para o irmão, a fim de proteger o bem do ex-marido.  

Madrugada
 
Ao ACidade ON, a mulher contou que o ex-marido invadiu a casa dela por volta das 2h e exigiu que ela lhe entregasse a motocicleta. As agressões começaram quando ela se recusou a atender a exigência.  

No meio da agressão, o filho do casal, de 6 anos, tentou ajudar a mãe e jogou uma panela com a comida do cachorro no pai. "O meu filho gritava para ele parar de bater em mim, mas aí que ele batia mais."  

Com medo, a criança saiu correndo e o homem foi atrás, ameaçando bater nela. A mulher viu nesse momento a chance de fugir para a casa do pai que mora em frente. Antes que o pai dela conseguisse abrir o portão para socorrê-la, o ex-marido apareceu e deu novo golpe o capacete, derrubando a mulher de joelhos.  

Discussão
 
A operadora de caixa aproveitou o momento em que pai começou a discutir com o agressor, para fugir e se esconder num beco, onde ficou por mais de uma hora até ver uma viatura da Policia Militar e pedir socorro. "Ninguém me emprestava o celular para chamar a Policia. Fiquei passando mal com muita dor".  

A mulher voltou para a casa, mas o agressor já tinha fugido. Segundo a operadora, nesta segunda, ela ira fazer o exame de corpo e delito, no Instituto Médico Legal.  

(Germano Neto com supervisão de Rita Magalhães)


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.