Vereador quer tirar empresas de valores da área urbana de Ribeirão

Associação que representa as empresas de valores diz que a medida é eleitoreira e inconstitucional

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Da reportagem

Transportadora Brinks foi atacada no dia 29 de outubro, no bairro Lagoinha, zona Leste (Foto: Gaspar Martins / ACidade ON)
 
O vereador Elizeu Rocha (PP) protocolou na Câmara de Ribeirão Preto proposta de emenda à Lei Orgânica do Município (LOM) que revogação da licença de funcionamento de empresas que tem atividades prejudiciais à segurança.

Com a medida, o vereador esperar retirar do perímetro urbano de Ribeirão Preto as empresas de transporte de valores, que vêm sendo alvos de ações por parte de quadrilhas fortemente armadas.

"Há quase dois anos eu venho cobrando uma atitude efetiva do Executivo, mas até agora nada foi feito. Primeiro foi o ataque Prossegur (2016), agora contra a Brinks (no dia 29 de outubro passado, na Lagoinha). Não podemos esperar de braços cruzados que seja articulado um ataque à Protege, no bairro Santa Cruz", falou o vereador.

A proposta de emenda à LOM precisa tramitar na pauta durante três sessões e, em seguida, o presidente da Câmara convoca sessão extraordinária para a votação.

Outro lado

Em nota, a Associação Brasileira das Empresas de Transportes de Valores se posicionou disse que a proposta do vereador é eleitoreira.

"A ABTV repudia tal emenda, que estabelece restrições à instalação e circulação de empresas no município de Ribeirão Preto. Tal ato é inconstitucional, pois viola o direito adquirido das empresas que já se encontram instaladas regularmente na área urbana", informou a ABTV.

"Além disso, poderá determinar a redução de pagamento de impostos, redução de postos de trabalho, e não irá contribuir para melhoria da segurança da cidade, pois os serviços continuarão sendo realizados. Trata-se de medida eleitoreira e sem nenhuma efetividade prática, que vai contra a economia da cidade", concluiu.


0 Comentário(s)