Política


| ACidadeON/Ribeirao

Bancada dos apresentadores tem 11 representantes na Câmara

Dois em cada cinco vereadores da atual legislatura possuem programas de rádio ou televisão em Ribeirão

Câmara de Ribeirão Preto (foto: Weber Sian / A Cidade)


Dos 27 vereadores de Ribeirão Preto, onze (40%) possuem ou são convidados fixos de programas veiculados em emissoras de rádio ou televisão. A atual legislatura mantém a tradição, que segundo historiadores, vem desde a década de 1950, da influência política da "República dos Locutores".
O levantamento foi feito pelo A Cidade com base em questionários enviados a todos os gabinetes da Câmara.  

Oito parlamentares têm a atividade de comunicação consolidada há pelo menos dez anos, como o presidente da Câmara, Igor Oliveira (MDB). Outros três aderiram aos microfones apenas após eleitos (nesta legislatura ou na anterior). Das 12 últimas eleições, realizadas desde 1969, apenas em 1976 o vereador mais votado não era protagonista em programas radiofônicos ou televisivos do município.  

Mas José Velloni, o mais votado naquele ano, já era vereador desde 1948. E, apesar de não ser expoente da radiodifusão, tinha exposição midiática por ter atuado em filmes nacionais nove deles ao lado de Mazzaropi.  

Todos os outros campeões de voto da Câmara tiveram papel de destaque no microfone: Antonio Carlos Morandini, Luis Schiavone Junior, Wilson Toni, Coraucci Netto (mais votado por três legislaturas consecutivas), Baleia Rossi, Dárcy Vera, Silvana Resende, Ricardo Silva e, o mais recente, Igor Oliveira.  

"Não há dúvidas de que o destaque na radiodifusão desvirtua o processo eleitoral. Como um cidadão comum vai se candidatar e enfrentar alguém com esse peso?", questiona o historiador e articulista do A Cidade, Júlio Chiavenato.

Histórico  

Levantamento feito no livro "O Cajado do Mentor: Mídia, Eleições e Coronealismo Eletrônico no Brasil", lançado em março deste ano, mostra que entre 1948 e 2008 estiveram em disputa 292 vagas para a Câmara de Ribeirão Preto. Destas, 68 foram ocupadas por apresentadores de programas. Na prática, uma em cada quatro cadeiras teve um representante de rádio ou televisão nesse período.  

Os pesquisadores da Universidade Federal da Grande Dourados, Maria de Lourdes e Reinaldo dos Santos, autores do livro, apontam que nas eleições de 2004 um "homem de mídia recebeu, em média, três vezes mais votos do que os demais postulantes".  

Em entrevista ao A Cidade, Reinaldo não deixa dúvidas: "é fato consumado e mensurado que os homens de mídia levam vantagem eleitoral sobre os demais".  

Os homens da mídia da Câmara 

Igor Oliveira
* Apresentador de rádio e TV, com programas de segunda a sexta-feira (rádio) e de segunda a sábado (televisão) de aproximadamente 1 hora de duração
* Atua em comunicação desde 2004
Foco: jornalismo

Rodrigo Simões
* Responsável por um programa de rádio de segunda a sexta-feira, veiculado em duas emissoras, com 1 hora de duração
* Atua em comunicação desde 1995 (já foi apresentador de televisão)
Foco: jornalismo

Orlando Pesoti
* Apresentador de um programa de televisão aos sábados, com 1 hora de duração
* Atua em comunicação desde 2001
Foco: jornalismo

Lincoln Fernandes
* Apresentador de um programa de 3 horas de duração, de segunda a sexta-feira, com transmissão na televisão e rádio.
* Atua em comunicação desde 1994.
Foco: jornalismo

Jean Coraucci
* Participa como convidado fixo de dois programas, na televisão (aos sábados, 1 hora de duração) e rádio (de segunda a sexta-feira), com 1 hora de duração)
* Iniciou na comunicação em 1994, como apresentador de programa de rádio
Foco: entretenimento e religioso

Maraca
* Apresentador de programa de segunda a sexta-feira, veiculado em duas rádios e uma emissora de televisão, com 1 hora de duração.
* Atua em comunicação desde 1997
Foco: prestação de serviço


André Trindade
* Apresentador de programa televisivo, transmitido às segundas-feiras, com uma 1 de duração
* Atua em comunicação desde 2003 (já foi apresentador de rádio e narrador esportivo)
Foco: esportivo

Maurício Gasparini
* Apresentador de três programas: um televisivo (um dia na semana, com 1 hora de duração), um radiofônico (transmitido em duas rádios aos sábado, 1 hora de duração) e um misto (transmitido em uma emissora de televisão e duas rádios, de segunda a sexta-feira, com 1 hora de duração).
* Atua em comunicação desde a década de 1990 (participava de programas do pai, Welson Gasparini)
Foco: entretenimento e jornalismo

Boni
* Apresenta programa em uma emissora de televisão, com 1 hora de duração, às quartas-feiras.
* Passou a atuar em comunicação com o programa, desde outubro de 2017
Foco: esportivo

Papa
* Apresenta programa de aproximadamente 3 minutos, veiculado de segunda a sexta-feira dentro de outro programa em uma emissora de televisão e rádio
* Passou a atuar em comunicação com o programa, há quatro anos
Foco: Sustentabilidade e meio ambiente

Marinho sampaio
* Realiza "participações especiais" em programa radiofônico, de 1 hora de duração, transmitido de segunda a sexta-feira.
* Passou a atuar com comunicação em março deste ano, quando o programa teve início.
Foco: entretenimento e prestação de serviços 

Mais votados  

Nove candidatos à Câmara em 2016 declararam ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) serem jornalistas ou redatores. A profissão teve a segunda melhor média de votos no pleito: 1,7 mil para cada candidato, atrás apenas de quem se declarou "vereador" em busca da reeleição (nove pessoas, com média de 2,7 mil votos).  

O campeão de votos, Igor Oliveira, declarou ser empresário. Aliás, 57 empresários concorreram no pleito tiveram média de 480 votos. Os dados foram analisados pelo A Cidade junto ao TSE.  

LEGISLAÇÃO 

A Lei Federal 9.504/1997 determina que candidatos devem se afastar de programas televisivos ou radiofônicos cerca de quatro meses antes das eleições. Segundo a legislação: 

"a partir de 30 de junho do ano da eleição, é vedado às emissoras transmitir programa apresentado ou comentado por pré-candidato, sob pena, no caso de sua escolha na convenção partidária, de imposição de multa e de cancelamento do registro da candidatura".  

Maioria produz os próprios programas 

Dos 11 vereadores com atuação em rádio ou televisão, apenas Lincoln e Maraca dizem que atualmente são contratados pelas emissoras para atuarem nos programas. Jean Coraucci alega que é convidado para participar (a rádio na qual atua é vinculada a sua família), sem interferir em questões comerciais, assim como Marinho.  

Todos os outros sete afirmam que são responsáveis pela produção de ao menos parte dos próprios programas, ou, então, que são produções independentes (em que o espaço na grade de programação é comprado).  

A Cidade questionou o gabinete de cada um deles sobre quais empresas patrocinam a produção. Boni (alegou ser informação privada), Igor Oliveira (afirmou que o tema deveria ser tratado com o departamento comercial) e Orlando Pesoti (disse que todos os patrocinadores são expostos em seu programa) não relacionaram as empresas.  

Entre os demais, há desde funerárias a restaurantes. Nas listagens informadas, não há empresas que prestam serviços à Prefeitura. 

THATHI  

O Grupo Thathi, com atuação em rádio, televisão (digital e via cabo) e transmissão em redes sociais, é o principal abrigo dos vereadores. Apenas quatro deles (Orlando Pesoti, Rodrigo Simões, Igor Oliveira e Marinho Sampaio) não possuem programas veiculado em algum dos veículos do grupo.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da CBN Ribeirão Preto. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. CBN Ribeirão Preto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Cadastrados

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)
Comentário (obrigatório)
0 comentários

Veja também