cotidiano


| ACidadeON/Ribeirao

Dupla é suspeita de incitação ao crime em vídeo de funk

Na letra da música, é possível ouvir trechos que falam sobre violência, uso de armas pesadas e também de drogas

 

A Polícia Militar de Batatais já identificou os dois jovens que aparecem cantando em um vídeo incitando a violência contra a PM.

Na letra da música, é possível ouvir trechos que falam sobre violência, uso de armas pesadas contra a polícia e também o uso de drogas.

Em entrevista à EPTV, o capitão da Polícia Militar Gustavo Henrique Lázaro confirma que a música é uma apologia ao crime. "É uma incitação e estamos tomando providências. Fizemos contato com a Polícia Civil e vamos oficiar o Ministério Público para estar tomando providências", afirma.

A polícia já identificou os dois homens que aparecem no vídeo. Um deles é menor de idade e nenhum dos dois tem passagem policial.

No final do vídeo é possível ver que uma criança aparece ao lado da dupla, batendo palmas. "Acionaremos os orgãos competentes, o Conselho Tutelar, para tomar providências sobre aquela criança", afirma o capitão.

O capitão também afirma que o patrulhamento será intensificado "não só pra coibir o tráfico mencionado no vídeo, mas sim também para a localização dos dois individuos que participaram  do vídeo". (Com EPTV)

Reprodução EPTV
Na letra da música cantada por dupla, é possível ouvir trechos que falam sobre violência e uso de armas pesadas contra a polícia (Foto: Reprodução / EPTV)

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da CBN Ribeirão Preto. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. CBN Ribeirão Preto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Cadastrados

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)
Comentário (obrigatório)
1 comentários
  • Luiz
    13/01/2018 09:58:34
    Essas pessoas tem mais valor e direitos do que o pobre trabalhador. É tem muitaaaaaa pessoas q as protegem.

Veja também