cotidiano


| Da Redação CBN Ribeirão

Defesa de médico de São Joaquim da Barra desmente denúncia de negligência em atendimento

Advogado diz que a paciente, uma idosa de 85 anos, teria sofrido uma parada respiratória por conta de um sedativo dado em Ipuã

A defesa do médico Luiz Octávio Vilena, suspeito de recusar atendimento para uma paciente de 85 anos, na Santa Casa de São Joaquim da Barra, desmente que o especialista tenha sido negligente. A idosa sofreu uma parada cardiorrespiratória.

De acordo com o advogado do médico, Alexandre Nader, a paciente teve o ataque por conta do sedativo dado no Pronto Socorro de Ipuã, onde ela recebeu o primeiro atendimento. Em contrapartida, a secretária de Saúde do município, Ivana Clemente Castro, descarta que o agravamento do quadro tenha sido causado pelos profissionais da cidade e que o sedativo aplicado é um procedimento de praxe para entubar o paciente.

Algumas testemunhas afirmam que o médico Luiz Octávio Villena optou por não atender Nacyr Ávila Leonetti, pois "não compensava investir" em uma manobra de ressuscitação por causa da idade da paciente.