cotidiano


| Da Redação CBN Ribeirão

Justiça determina que julgamento de Guilherme Longo tenha apenas 10 testemunhas

Defesa e acusação, juntas, haviam pedido 52 testemunhas no júri

A Justiça decidiu que o julgamento de Guilherme Longo, acusado de matar o enteado Joaquim Ponte Marques, terá 10 testemunhas, sendo 5 de defesa e 5 de acusação. A ordem contraria o pedido do MP, que tinha a intenção de ouvir 22 pessoas, e do advogado de Longo, que contava com 30 testemunhas.  

Na decisão a juíza Izabel Cristina Alonso Bezerra disse que esses números excedem o que é previsto em lei.  

O advogado Antônio Carlos de Oliveira, que representa o acusado, disse que essa decisão pode trazer prejuízos tanto para a defesa quanto para o Ministério Público.

Já o promotor do caso Marcos Túlio Nicolino, afirmou que outras testemunhas deveriam ser ouvidas por causa da complexidade do caso. Ele ressaltou que deve recorrer da decisão da Justiça.

Guilherme Longo é acusado de homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Ele está preso no presídio de Tremembé desde janeiro do ano passado, quando foi extraditado da Espanha. A data do julgamento ainda não foi marcado.