Lazer e Cultura


| ACidadeON/Ribeirao

Sesc Ribeirão reúne manifestações da cultura popular e reverencia origens afro-brasileiras

Praça XV e Parque Maurílio Biagi também tornam-se palcos do Encontro de Culturas Populares e Tradicionais neste domingo (12)

Matheus Grobe / Divulgação
Maracatu Chapéu de Sol (Foto: Matheus Grobe / Divulgação)

 

O Sesc Ribeirão, a Praça XV e o Parque Maurílio Biagi, em Ribeirão Preto, tornam-se palcos do Encontro de Culturas Populares e Tradicionais neste domingo (12). Com promoção do Sesc, o evento reúne manifestações populares, religiosas e tradicionais brasileiras, para celebrar a diversidade cultural do país.

A alegria e os tambores do jongo, as diversas linguagens do maracatu, as batidas da sambada e as danças do afoxé reverenciam as manifestações de origem afro-brasileira na programação do Encontro.

“A ideia surgiu impulsionada pela pujança dos grupos de cultura populares de Ribeirão e região, que têm mantido um intercâmbio ativo com os grupos de Maracatu de Recife”, comenta o animador cultural do Sesc Ribeirão, Vitor Paschoalick.

Com esse renascimento do Maracatu na cidade, o Encontro foca o fortalecimento e incentivo desses grupos ao trazer mestres pernambucanos para as apresentações, rompendo assim as barreiras geográficas. “Reunimos apresentações fortes em um único final de semana. E buscamos contemplar as diversas regiões do país, para aumentar a representativa e tornar o evento multicultural”, diz Paschoalick. 

A presença de dois mestres da Nação Estrela Brilhante de Recife - Walter de França e a Baiana Rica e mestre Maurício Soares- é destaque da apresentação do Maracatu Chapéu de Sol, que abre o evento. “São fortes referências do nosso trabalho. É um orgulho podermos cantar e dançar essas toadas na presença de quem as criou”, afirma o dirigente do Chapéu de Sol, Maurício Puntel Fiori.

O grupo de Ribeirão completa dez anos em 2018 e foi um dos precursores dessa manifestação pernambucana na cidade. “Por ser informal e ter origem na oralidade, essas culturas precisam ter resistência e ser contínuas. É muito valoroso termos criado oportunidades de surgirem outras comunidades de Maracatu em Ribeirão”, diz Fiori.

As apresentações do Encontro acontecem em espaços públicos e em horários de movimentação natural nesses locais, justamente para estimular a participação e interação da população.

“As culturas tradicionais de matriz africana vêm sendo reconhecidas pelo Sesc é importante que esses mestres que bebem de uma fonte ancestral sejam valorizados, porque o racismo está presente”, comenta Vinícius Barros, fundador do Maracatu Navegante, também de Ribeirão, há cinco anos.

No evento, o grupo será regido pela mestra Joana, da recifense Nação Maracatu Encanto do Pina. “Para nós ela significa inspiração e fundamento, principalmente pela sua forte luta contra o machismo e o racismo”, diz Vinícius.

Jongo

o Jongo leva sua alegria, cantoria, dança e som dos tambores à Praça VX com o Jongo Dito Ribeiro, uma comunidade de Campinas que tem como mestre e lideranças principalmente mulheres, além da força da ancestralidade. “O nome é uma homenagem ao meu avô. Temos uma identidade que é reposta cada vez que nossos tambores tocam, pensando nesse ancestral e revivendo o jongo nos dias de hoje”, diz a líder, Alessandra Ribeiro. Ela revela que a integração com o público – bem característica das culturas populares – marcará a apresentação. “Segura sua mão na minha para que juntos possamos fazer aquilo que não posso fazer sozinha... Essa é uma frase da nossa comunidade”, cita Alessandra.

Programação
Encontro de Culturas Populares e Tradicionais

Domingo (12)
• 9h30: Oficina de Maracatu de Baque Virado, com Mestra Joana Cavalcante da Nação Encanto do Pina de Recife - no Galpão do Sesc
• 14h30: Samba de Lenço “Mestre Antonio Carlos Ferraz” - no Parque Maurílio Biagi
• 15h30: Maracatu Navegante, com participação de Mestra Joana Cavalcante e Deivson Santana - no Parque Maurílio Biagi
• 16h30: Batuque de Umbigada, com Batalhões de Piracicaba e Capivari - no Parque Maurílio Biagi
• 17h30: Afoxé Omó Orunmilá - no Parque Maurílio Biagi
• 18h30: Roda de Conversa “Resistência da Cultura Negra no Brasil”, com Baba Paulo Ifatide - no Parque Maurílio Biagi

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da CBN Ribeirão Preto. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. CBN Ribeirão Preto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Cadastrados

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)
Comentário (obrigatório)
0 comentários

Veja também