Economia


| Da Redação CBN Ribeirão

Números do Caged apontam queda na criação de empregos em Ribeirão

Em janeiro deste ano, 424 postos foram criados; no mesmo período de 2018, número foi 67% maior

As contratações na região de Ribeirão Preto caíram em janeiro, em comparação ao mesmo período do ano passado. É o que aponta os dados do Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (CAGED), divulgados nesta quinta-feira (28).

Impulsionado pelos setores de serviços, indústria e construção civil, Ribeirão Preto fechou o mês abrindo 424 novas vagas no mercado de trabalho. Mesmo assim, a cidade obteve queda de 67% no número de empregos ofertados em relação a 2018, quando a cidade criou 1299 oportunidades.

Em situação parecida, Franca terminou o mês passado com 859 carteiras assinadas a menos, caindo 52% em relação ao ano passado.

O economista José Rita Moreira, acredita que a Reforma da Previdência pode mudar os rumos desses cenários.

- No ano passados nós tivemos uma retomada do crescimento econômico, então qualquer destaque tivesse ali, era relevante. Tem uma expectativa forte e está se esperando a aprovação de algumas medidas. Acredito que depois do Carnaval, tudo volte a acontecer e quem sabe teremos números mais interessantes - afirma.

Sertãozinho foi a única que teve aumento no número de contratações. Em janeiro, o município abriu 1.373 empregos contra 1.366 em 2018. Um crescimento tímido, de 0,5%.

- O índice de empregos não é o mais importante, porque a qualificação das pessoas está sendo um pouco diferente. Hoje se procuram pessoas um pouco mais especializadas, produtivas. Isso faz com que um funcionário faça o serviço de dois - ressalta Moreira.

Entre as cidades da região, Bebedouro tem a situação mais grave. Com o fim da safra da laranja a cidade fechou mais de 1.900 vagas, se tornando assim a 6ª cidade do país que mais demitiu neste começo de ano.  

Números não foram positivos na maioria das cidades da região

Veja também