Ex-namorada de Plastino afirma que lucro da Atmosphera em licitações chegava a R$ 900 mil

Alexandra Ferreira Martins também diz que Plastino presenteou ex-superintendente da Coderp com viagem para os Estados Unidos

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Da reportagem
Reprodução EPTV
Alexandra Ferreira Martins, ex-namorada de Plastino, durante delação premiada; clique e veja vídeo (Foto: Reprodução / EPTV)

 

Alexandra Ferreira Martins, ex-namorada de Marcelo Plastino, afirmou em delação premiada que o lucro líquido da Atmosphera com contratos de licitações da Prefeitura de Ribeirão Preto chegava a até R$ 900 mil.

VEJA TRECHOS DAS DELAÇÕES 

"Eu fazia os pagamentos dos funcionários. Todos os encargos referentes a impostos, vale-alimentação", diz a mulher.

LEIA TAMBÉM
Plastino fazia delivery de dinheiro até a residência de Cícero e Walter Gomes
Justiça homologa acordo de delação de sócio e namorada de Plastino
Ex-sócio e ex-namorada de Plastino fecham delação premiada
MP apreende documentos no apartamento de Plastino
Celular de Plastino tem desde contradições a novas denúncias

Os vídeos das delações premiadas da ex-namorada e também de Paulo Roberto de Abreu Júnior, ex-sócio de Plastino, foram conseguidos com exclusividade pela EPTV.

Nas gravações, feitas no dia 13 de setembro na sede do Ministério Público, Alexandra também afirmou que Plastino presenteou Davi Cury, ex-superintendente da Coderp, com uma viagem para os Estados Unidos. "Marcelo me disse que ele presenteou o Davi com a esposa, eles ficaram no San Regis, que é o hotel de preferência do Marcelo", comenta.

Já o ex-sócio de Plastino, Paulo Roberto de Abreu Júnior, que também fez acordo de delação premiada, contou aos promotores que a empresa Tecmaxx foi criada em 2012 para fraudar licitações da prefeitura com a Atmosphera.

Paulo Roberto disse que as licitações feitas pela Coderp eram feitas em pregões presenciais. Porém, Marcelo recebia os editais antes da divulgação então a Atmosphera e a Tecmaxx preparavam as ofertas para ganhar das concorrências. Até mesmo as datas dos leilões eram combinadas com a Coderp. "Próximas de feriados. Para restringir empresas de fora de vir para Ribeirão Preto, para a Coderp", diz.

Outro lado

À EPTV, a defesa de Davi Cury disse que Davi tem família nos Estados Unidos e nunca recebeu dinheiro de Marcelo Plastino. (Com EPTV)


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.