Taxistas pressionam vereadores para regulamentar aplicativos

Clima foi quente na sessão da Câmara de Ribeirão desta terça (3); a sessão precisou ser suspensa devido ao tumulto

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Marcelo Fontes

 

Polêmica: Fabiano Guimarães foi alvo da ira dos taxistas ontem (Marcelo Fontes / A Cidade)
A sessão de ontem da Câmara de Ribeirão Preto teve clima bem quente. Taxistas compareceram e protestaram bastante pela retirada de pauta do projeto que regulamenta os aplicativos de transporte individual, como 99, Uber e Cabify.  

O principal alvo foi o vereador Fabiano Guimarães (DEM). "Recebemos um áudio em que o vereador Fabiano diz que o táxi vai acabar em dois anos", disse Dárcio Carvalho, taxista há 10 anos. "Não queremos proibir os aplicativos, queremos apenas a regulamentação", completou. O vereador Fabiano Guimarães alega que "da forma como o mercado de táxi está organizado hoje, não há como competir com os aplicativos".  

"Sou honesto e franco, para ninguém perder seu tempo com politicagem. O caminho não é regulamentar o Uber para comparar este mercado com o de táxis. O mais inteligente e honesto por parte do governo seria desonerar os taxistas", disse Fabiano.  

A sessão de ontem chegou a ser suspensa devido ao tumulto. Mas os ânimos se acalmaram após os vereadores prometerem uma reunião, com a participação do Executivo, para achar uma saída para o caso.  

Ontem também era aguardada a presença dos motoristas de aplicativos - os serviços que eles oferecem vai ficar mais caro com a regulamentação. Mas como o projeto foi retirado da pauta na hora do almoço, eles decidiram não ir.    

Fonte: A Cidade

Governo diz que retirou projeto após pedido da Câmara 

A Prefeitura retirou da Câmara ontem, por volta do meio-dia, o projeto que regulamenta os aplicativos. De acordo com o secretário de Governo, Nicanor Lopes, a medida foi adotada após conversa com vários vereadores.   

"Foi um pedido quase unânime dos parlamentares. Vamos discutir melhor após o recesso", disse Nicanor. É provável que audiências públicas sejam realizadas. O recesso da Câmara começa no dia 16 de julho e vai até 1º de agosto. Como o novo projeto terá prazo de tramitação de 45 dias, é provável que a votação ocorra apenas no final de agosto. De acordo com Nicanor, a Prefeitura pretende aprovar as regras para os aplicativos ainda em 2018. "É uma questão que precisa ser regulamentada", acrescentou.


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.