Depoimento aponta que Isaac indicava a sede do PR para receber documentos

Casal afirma ter sido alvo de advogados réus na Operação Têmis e pede que Justiça suspenda ações

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Marcelo Fontes

Por nota, Isaac Antunes disse estar tranquilo e que aguarda o término das investigações (Foto: Weber Sian / A Cidade - 26.jul.2017)
 

O Ministério Público colheu nesta segunda-feira (14) o depoimento de um casal que afirma que o vereador Isaac Antunes indicava o endereço da sede do seu partido, o Partido da República (PR), para entrega de documentos. O casal foi alvo dos advogados que são réus na Operação Têmis.  

Segundo os depoimentos a que o A Cidade teve acesso, Isaac realizou um evento do Muda Ribeirão na escola municipal Honorato de Luca, no Jardim Salgado Filho, em maio de 2016, para limpar o nome das pessoas. Mas o casal não estava com todos os documentos necessários. Foi aí que Isaac teria pedido que levassem o restante a um endereço no Campos Elíseos, o que foi feito.  

"Os integrantes da equipe do Isaac tiraram cópias e pediram para assinar vários documentos", disse o casal. Depois de alguns meses, o casal descobriu que sete ações foram distribuídas no nome deles - três no cadastro da mulher e quatro no nome do homem.  

O casal pede agora que as ações sejam suspensas pela Justiça.

Outro lado  

Em nota, o vereador Isaac, que comanda o PR em Ribeirão Preto, disse que está tranquilo e que aguarda a conclusão das investigações.  

Já sobre o evento na escola municipal, a Prefeitura de Ribeirão Preto informou "que não tem conhecimento", ressaltando que o caso ocorreu na administração passada (ex-prefeita Dárcy Vera) e que não há registro de autorização na Secretaria da Educação. 

Entenda a situação 

Do que Isaac é acusado?
O vereador é acusado de crime eleitoral, por ter, supostamente, usado o movimento Muda Ribeirão para obter votos. O vereador, quando pré-candidato, percorria os bairros oferecendo serviço para limpar o nome das pessoas de forma gratuita. Há um entendimento que, com isso, ele aumentou o número de votos recebidos 

O que diz Isaac?
O vereador nega. Ele alega que o Muda Ribeirão é um movimento social que percorre os bairros de Ribeirão Preto ajudando as pessoas com vários serviços gratuitos 

Quem investiga Isaac?
Ele está sendo investigado pelo Ministério Público e é alvo de inquérito da Polícia Federal (PF) por suposto crime eleitoral e caixa dois de campanha 

Isaac é réu na Operação Têmis?
Não. Até o momento, Isaac Antunes não é réu na Operação Têmis. Ao todo, o Ministério Público denunciou, até agora, dez pessoas à Justiça  


Investigação da promotoria  

Os depoimentos colhidos nesta segunda pelo Ministério Público apontam para a tese de que o vereador Isaac Antunes participou ativamente da coleta de cadastros para os advogados acusados na Operação Têmis. Mesmo após denunciar dez pessoas para a Justiça - todos já se tornaram réus -, as investigações da Têmis seguem sendo realizadas pelo Ministério Público.  

O promotor Aroldo Costa Filho, um dos responsáveis pela Operação, não descarta que mais pessoas sejam denunciadas, caso fique comprovada a participação delas no esquema. A Têmis foi deflagrada no dia 11 de janeiro de 2018. Atualmente não há réus presos, sendo que Ruy Rodrigues Neto e Luiz Felipe Naves já realizaram delação premiada. 

Whatsapp comprova proximidade com réu  

Além dos depoimentos, o A Cidade teve acesso à mensagens do aplicativo WhatsApp, que comprovam que o vereador Isaac Antunes (PR) mantém laços com o advogado Klaus Philipp Lodoli, um dos réus da Operação Têmis. Segundo essas mensagens, retiradas do celular de Klaus e anexadas à documentação das investigações, o advogado e Isaac conversavam com frequência. Em um dos casos, Klaus pergunta para o então candidato a vereador se as pessoas que assinavam os documentos nas caravanas Limpe seu Nome ficavam com alguma cópia. Isaac diz que não e Klaus pede para manter assim. 

Em outra mensagem, Isaac parabeniza o advogado pelo aniversário e chama ele "para tomar uma" (coloquialmente, essa frase é utilizada para chamar um amigo para ir ao bar). Já no dia 23 de agosto de 2017, Klaus diz que conversou com Chafik (Chafik Ferreira Scalon é chefe de gabinete de Isaac na Câmara) e pede para marcar reunião com Isaac.  

O vereador então combina de recebê-lo na própria Casa de Leis, no dia seguinte, às 17h30. Antes de as investigações do Ministério Público se aprofundarem, Isaac tinha negado, em entrevista ao A Cidade, ter relacionamento pessoal com os envolvidos na Têmis. Já Klaus e os outros nove réus da Têmis sempre negaram as acusações do Ministério Público. O processo corre na 4ª Vara Criminal de Ribeirão Preto, sob responsabilidade do juiz Lúcio Alberto Eneas da Silva Ferreira. 


ENTENDA O CASO   

Quem são os denunciados?
Renato Rosin Vidal - advogado civil
Klaus Philipp Lodoli - advogado civil
Gustavo Caropreso Soares de Oliveira - advogado civil
Angelo Luiz Feijó Bazo - advogado civil
Thales Vilela Starling - advogado criminalista
Douglas Martins Kaufmann - advogado criminalista
Ramzy Khuri da Silveira - Khuri Recuperadora de Ativos
Luiz Felipe Naves Lima - Consultoria Neo Price
Ruy Rodrigues Neto - Neo Price e Associação Pode Mais (Limpe Seu Nome)
Clóvis Angelo, vulgo "Capitão" - Responsável por recrutar captadores de clientes para o escritório LCBV 

Do que eles são acusados?
De utilizar cadastros de pessoas (inclusive os recolhidos na caravana de Isaac Antunes) para distribuir mais de 50 mil ações fraudulentas, que geraram um prejuízo estimado em mais de R$ 100 milhões. Eles são denunciados por organização criminosa, estelionato, falsidade ideológica, fraude processual e violação do sigilo bancário. Todos eles negam os crimes

LEIA MAIS

Polícia Federal investiga se Isaac utilizou caixa dois 

Delator diz que projeto de Isaac arrecadou 1,2 mil cadastros 

Mais uma testemunha diz que Isaac usou esquema para obter votos 

Isaac Antunes participou de churrascada com denunciados 

Isaac trocou o serviço Limpe Seu Nome por votos, diz ex-assessor


0 Comentário(s)