Policial rodoviário e até um financiador faziam parte de organização ligada ao contrabando, diz PF

Operação Saturnismo prendeu 18 pessoas na manhã desta quarta-feira (13); 11 são de Araraquara

    • ACidadeON/Araraquara
    • ACidade ON
ACidade ON - Araraquara
Documentos e aproximadamente R$ 40 mil foram apreendidos pela PF nesta quarta-feira (13)

 

A Polícia Federal (PF) de Araraquara acredita ter desarticulado completamente uma quadrilha especializada em contrabando de cigarros, anabolizantes e eletrônicos. Os produtos eram trazidos do Paraguai e vendidos na cidade e região. Na manhã desta quarta-feira (13), quase cem homens da PF com apoio da Receita Federal cumpriram 23 mandados de busca e apreensão, 18 mandados de prisão e seis mandados de condução coercitiva. Onze pessoas foram detidas em Araraquara, quatro em Matão, uma em São Carlos, e duas no Paraná, nas cidades de Campo Mourão e Maringá.

“As investigações começaram em fevereiro após uma série de apreensões de cargas de cigarros. Nós percebemos que as pessoas presas tinham ligações entre elas. Nós juntamos essa informação com várias outras que recebemos por meio de denúncias anônimas e conseguimos chegar até os suspeitos presos hoje”, explicou o delegado da Polícia Federal Adriano Junqueira.

Entre os detidos está um policial rodoviário que mora e atua em Araraquara. Ele vai cumprir prisão preventiva de cinco dias no presídio Romão Gomes, na capital paulista. A cadeia é destinada a policiais que se envolvem com o crime.

“Nesse momento não podemos dar mais detalhes da prisão dele (policial) e nem de sua atuação para não atrapalhar as investigações que ainda estão em curso”, disse Junqueira.

 

ACidade ON - Araraquara
Policiais da Corregedoria da PM acompanharam a PF durante a prisão de um policial rodoviário

A prisão do policial, bem como a busca e apreensão feita em sua residência, foi acompanhada de perto por uma equipe da corregedoria da Polícia Militar.

Além dele, os agentes da PF prenderam também pessoas ligadas ao transporte dos produtos contrabandeados, fornecedores, comerciantes, empresários e um homem identificado como o financiador do esquema. Este último seria a pessoa que viabilizaria economicamente a ação do bando.

A Justiça Federal de Araraquara também determinou o bloqueio de contas bancárias e a indisponibilidade de bens, imóveis e veículos de investigados envolvidos nas ações criminosas. A investigação apura o crime de falsificar, corromper, adulterar ou alterar produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais, além dos crimes de contrabando e descaminho.

Os cigarros e as mercadorias eram trazidos do Paraguai, sendo temporariamente armazenados em galpões ou outros imóveis alugados, ou mesmo nas residências dos membros da organização criminosa, para serem posteriormente entregues aos comerciantes receptadores.

Nas buscas de hoje a Polícia Federal apreendeu diversos documentos, cigarros e aproximadamente R$ 40 mil em dinheiro. De acordo com estimativa da PF, de fevereiro até hoje o bando movimentou cerca de R$ 5 milhões em produtos contrabandeados.

“Esperamos ter extinguido essa célula e mais do que isso, que a ação tenha efeito educativo e inibitório sobre outras organizações criminosas”, concluiu Junqueira.

Dos 18 presos, catorze irão cumprir prisão temporária, de 5 dias, e 4 cumprem prisão preventiva. As seis pessoas levadas coercitivamente foram ouvidas e liberadas em seguida.

Operação Saturnismo

Saturnismo é o nome dado à intoxicação por chumbo. Estudos clínicos indicaram que os cigarros de origem paraguaia possuem concentração desse elemento muito superior aos cigarros vendidos legalmente no Brasil.
 


0 Comentário(s)