Presos com Tucson roubada estavam no terceiro crime do dia

Ladrões em fuga destruíram a parede da sala de uma casa no Ipiranga, na zona Norte de Ribeirão Preto

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Da reportagem

 

Os dois homens presos após destruirem a sala de uma casa no Ipiranga, na zona Norte de Ribeirão Preto, durante uma perseguição policial após roubarem R$ 99 de uma salgaderia no bairro, confessaram à polícia que estavam praticando o terceiro crime do dia.

Luis Carlos Soares dos Santos, de 28 anos, e Anderson Gustavo Giolo, de 25 anos, foram presos após perderem o controle da Hyundai Tucson que dirigiam ao passarem a mais de 120 km/h, segundo a PM,  sobre uma valeta.  O veículo também havia sido roubado na segunda-feira (11) nos Campos Elíseos.

De acordo com Segundo relato dos militares, a SUV chegou a decolar do chão antes de se chocar e provocar um rombo na parede da sala de uma casa da rua André Rebouças.   Antes de atingir a casa, a caminhonete ainda arrancou uma goiabeira plantada na calçada e que foi arremessada a 15 metros do local.

Questionados pela polícia, os suspeitos confessaram duas tentativas de roubo durante a tarde de ontem, que foram frustradas por não estarem armados. Na salgaderia, a dupla roubou R$ 99,05 e o celular da proprietária, de 32 anos.  
 
Casa destrída 

Com a parede da sala destruída  a moradora teve de buscar abrigo na casa de parentes por não ter condições de passar a noite na residência. A informação foi confirmada por um segurança que passou a madrugada desta quarta-feira (13) em frente ao imóvel, na rua André Rebouças, para evitar furtos. 

A mulher estava sentada no sofá assistindo televisão quando a parede da sala foi destruída na batida. "Por Deus, o veículo bateu de onde ela estava sentada para frente e a proprietária não foi atingida", afirmou o tenente da PM (Polícia Militar), Wagner Bianchi, em entrevista à EPTV. De acordo com o vigia da casa, a mulher teve apenas um arranhão no pé, sem gravidade.  

Por pouco não ocorreu uma tragédia maior, pois os dois netos da moradora da casa costumam brincar no chão da sala, encostados exatamente na parede derrubada pelos bandidos.  No canto, a poucos centímetros da parede destruída, um aquário repleto de peixes coloridos permaneceu intacto.

Perseguição  

Era por volta das 19h30 de terça-feira (12) quando Luis Carlos e Anderson, tentaram fugir da polícia após roubarem a salgaderia na rua Javari, no Ipiranga.  

Policiais militares da Rocan (Ronda Ostensiva Com Apoio de Motocicletas) estavam em patrulhamento pela região quando receberam a informação de que uma Hyundai Tucson preta, produto de roubo, foi vista na rua Tajapós.  

Os policiais encontraram com o veículo na avenida Dom Pedro I, mas a dupla tentou fugir fazendo uma conversão à esquerda e acabou batendo em duas motos que estavam estacionadas.  

Acompanhado pela Rocan, a Tucson em fuga desceu pela contramão da rua André Rebouças e o motorista teria perdido o controle após passar pelo cruzamento com a rua General Câmara, onde existe uma valeta.  Nesse momento, os acusados perderam o controle do veículo e bateram contra a parede da casa.

  

Moradora estava sentada no sofá e não foi atingida (foto: P.H. Schneider / ACidade ON)
 

Confissão 
 
Questionados pela polícia, os suspeitos confessaram duas tentativas de roubo durante a tarde de ontem, que foram frustradas por não estarem armados. Na salgaderia, a dupla roubou R$ 99,05 e o celular da proprietária, de 32 anos.  

Em relação à Tucson, os dois negaram a participação no roubo do veículo e disseram apenas que o receberam de um conhecido, que não teve o nome revelado. Eles garantiram à polícia que o carro é bombinha, ou seja, financiado e sem prestações pagas.  

A proprietária da salgaderia fez o reconhecimento dos suspeitos na CPJ (Central de Polícia Judiciária) e recuperou o dinheiro e o celular roubados. Os dois acusados alegaram dores no corpo e, por cautela, passaram por atendimento médico na UBDS Central.  

Após receberam alta médica, Luis e Anderson foram presos em flagrante e indiciados por roubo. Os dois foram levados para a carceragem da Polícia Civil e posteriormente passariam por uma audiência de custódia.  




0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.