Em 6 meses, 'Heróis' realizam 60 castrações em cães e gatos

Projeto social utiliza metodologia diferente: o recolhimento de animais é feito apenas em último caso; primeiro vêm a orientação e castração

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Júlia Fernandes

  

 

Diferente do comum, o projeto social "Heróis" atua há 7 anos orientando e combatendo o abandono de animais em várias comunidades carentes de Ribeirão Preto. De junho a dezembro de 2017, 60 animais foram recolhidos, castrados e devolvidos aos seus tutores. 

O objetivo dos cerca de 50 voluntários que integram o Heróis é dar uma vida melhor aos cães e gatos marginalizados e, em alguns casos específicos, intermediar o processo de adoção responsável.

Atualmente, 10 vira-latas procuram por um lar. "Dentro das nossas limitações, resgatamos alguns e apenas auxiliamos outros. Desta vez, há um caso muito grave, de uma senhora que adoeceu e está no hospital. Os cães dela precisam encontrar tutores urgentemente, antes de serem despejados", afirma a publicitária Mariana Simon, 30, idealizadora do projeto.

Para ajudar, ela diz que os interessados podem entrar em contato pela página do Facebook e agendar uma entrevista, onde alguns detalhes da guarda serão avaliados. Contudo, a coordenadora reforça que o foco do projeto não é promover o processo de adoção.   

Recolhimento não é solução

Para Mariana, a incidência de animais comunitários - isto é, que moram na rua, mas recebem cuidados de terceiros - não deve ser resolvida apenas com o recolhimento destes, mas, sim, com orientação. Ao ACidade ON, ela explica que algumas intervenções em áreas públicas já surtiram tanto efeito, que o índice de castração surpreendeu e fez o projeto ser mais relevante

"Nós capturamos, esterilizamos e conversamos com líderes sobre a importância de cuidar devidamente dos bichos. As regiões escolhidas são estudadas ou por meio de denúncias", ela esclarece, além de destacar que a ideia surgiu meses após participar de um serviço público.

O resultado foi tão bonito que a atual coordenadora continuou na área e resolveu criar o projeto. Mas, desta vez, com um método voltado à ajuda efetiva e mais consciente.

E cada ação tem uma abordagem diferente. O projeto Heróis não conta com a ajuda fixa de parceiros ou investidores. As cirurgias são feitas em clínicas veterinárias que cobram menos ou que, esporadicamente, sedem os serviços. Além disso, os voluntários realizam eventos que são transformados em cuidados para estes cães e gatos e, principalmente, em muitas castrações.

"Começamos otimistas, mas ainda tímidos, sem entender que iríamos conseguir fazer o bem desta forma. O diferencial foram as pessoas que encontramos, empenhadas nesta causa", finaliza Mariana.

Para ajuda ou participar como voluntário, o canal de contato também é a página do Facebook.


0 Comentário(s)