Ex-craque do Leão, Vander é velado em Ribeirão Preto

Em sua trajetória, Vander acumula posto de ídolo como jogador e servidor público municipal, como passou últimos 15 anos de vida

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Júlia Fernandes
Weber Sian / A Cidade
Vander, ex-meia do Comercial, faleceu nesta quarta-feira (11) (Foto: Weber Sian / A Cidade)

 

Entre amigos e familiares, o corpo de Vander Aparecido Ferreira, de 60 anos, foi velado na tarde desta quarta-feira (11), no velório Samaritano de Ribeirão Preto. O ex-craque do Comercial morreu às 00h15, no Hospital Ribeirânia, em consequência de um câncer no fígado.

LEIA MAIS
Vander, ex-meia do Comercial, morre ao 60 anos em Ribeirão Preto

Fã de carteirinha, o irmão, Fábio Ferreira, 40, não poupou elogios à memória de Vander. “Ele era o orgulho da família, e da cidade também. Enfrentou essa batalha sozinho, para evitar o nosso sofrimento, como sempre fez. E, não a toa, reuniu tantas pessoas para o último adeus”. Muito abalada, a filha do meia preferiu não entrevistas.

Ídolo

A carreira de ‘Batata’, como era chamado em campo, começou no Comercial FC, na década de 1970 e sob a presidência de Brenno Augusto Spinelli Martins, que participou do velório.

“Sem dúvidas, ele marcou a história do Clube. Vi esse menino torna-se um grande jogador, mas sempre muito humilde e especial – tanto é que fui o responsável pela sua primeira venda milionária, por R$ 12 milhões ao Internacional de Porto Alegre”, ele contou.

Depois disso, Vander não parou. Brilhou nas arenas do Botafogo, Atlético-PR, Atlético-MG, Fluminense e, por fim, mudou de ares: nos últimos 15 anos, foi servidor público municipal na Prefeitura de Ribeirão Preto, no departamento de controle de vetores.

Por isso, além de jogadores, funcionários públicos também sentiram pela morte do companheiro. “Era uma pessoa e trabalhador maravilhoso, sempre prestativo e muito amigável”, exclamou o agente e colega de turno, Isildo Antônio França, de 56 anos.

Por meio de nota, o prefeito Duarte Nogueira lamentou a morte de Vander. “Foi com tristeza que recebi a notícia. Quero neste momento difícil me solidarizar com familiares, amigos e com as famílias comercialina e botafoguense, que tiveram o atleta em seus quadros. Que a serenidade possa trazer um pouco de conforto e paz às pessoas que com ele conviveram”.

O sepultamento aconteceu às 16 horas, no Cemitério da Saudade.


1 Comentário(s)

Comentário

MIGUEL ANGELO PACCAGNELLA

Publicado:

Tenho aqui uma dúvida, Conheci o jogador Wander, quando ele jogou no Comercial e o Breno Spinelli não era presidente do Comercial nessa época. .Também não lembro quem era. pois residi em Ribeirão Preto, até Maio de 1981, e sou COMERCIALINO