Mulheres vão às ruas contra violência e feminicídio em Araraquara

Caminhada foi organizada pela família de jovem morta pelo ex-namorado, há três meses na cidade

    • ACidadeON/Araraquara
    • Da reportagem

 

Com objetivo de sensibilizar a população araraquarense sobre a problemática da violência contra as mulheres e o feminicídio, uma caminhada foi realizada nesta segunda-feira (09), saindo da Praça do Parque Infantil e seguindo pelas ruas do Centro. O evento foi organizado pela família de Camila Diógenes Lourenço, 32, morta a facadas pelo ex-namorado há três meses, e contou com o apoio do Centro de Referência da Mulher do município. 

Após o percurso foi realizada uma roda de conversa, onde foram feitos diferentes relatos sobre agressões físicas, morais por parte de pais, maridos, namorados, destruindo famílias. Um questionário também foi passado para as participantes com informações referentes a possíveis atitude agressivas que possam estar passando.  

De acordo com a coordenadora do Centro de Referência da Mulher, Amanda Vizoná, o evento foi muito produtivo e mostra que somente com a participação das mulheres será possível conscientizar e sensibilizar a população da cidade sobre o quanto nocivo é a presença da violência na vida das famílias.  

"O pessoal compareceu, a roda de conversa foi muito produtiva, pois as mulheres se abriram e fizeram suas homenagens a Camila, mas também contaram suas histórias e suas dores. É sempre muito importante ter um momento em que as mulheres se encontram para dialogar. Por menor que seja o número de pessoas, tínhamos em torno de 50 a 60 pessoas, mas quando colocamos essas pessoas em uma roda de conversa algo fantástico acontece, tem uma energia e podemos dialogar sobre nossas dores", afirmou Vizoná.  

Já Izabel Lourenço, mãe de Camila Diógenes Lourenço, teve de vencer o dia de tristeza pela morte da filha para se mobilizar e transformar seu luto em luta. Para ela, as expectativas foram atendidas, pois muitas mulheres se fizeram presente na caminhada e podem ter conhecimento sobre seus direitos e onde buscar apoio.  

"A agressão não é só bater, a psicológica é muito pior do que você apanhar e com o questionário que foi passado vão poder descobrir se estão passando por algum desses processos. É uma verdadeira luta mesmo, pois vamos transformar nosso luto em luta e essa caminhada é a primeira de muitas que vamos fazer", garantiu.  

Onde buscar ajuda?
O Centro de Referência da Mulher de Araraquara possui atendimento e apoio as mulheres vítimas de violência doméstica 24 horas por dia e sete dias da semana. O contato é o 99762 0697. O espaço trabalha também com o acolhimento e ações preventivas, tendo sua sede localizada na Rua Comendador Pedro Morganti, 2231, no Centro.


0 Comentário(s)