Ideia do caderno especial para o aniversário de Ribeirão Preto é elogiada

Entidades ouvidas pelo jornal destacam o princípio de se criar caderno com projetos de arquitetos e urbanistas

    • ACidadeON/Ribeirao
    • José Manuel Lourenço

Caderno especial de aniversário vai circular com projetos de alunos de Arquitetura e Urbanismo (foto: Matheus Urenha / A Cidade)
 

A ideia da publicação de um caderno especial para o aniversário de Ribeirão Preto, que foge ao modelo tradicional, foi bem recebida por entidades locais, ligadas à inovação e criatividade.  

"Ribeirão Preto tem capital humano incrível, turbinado anualmente por jovens profissionais que deixam as universidades com ideias e sonhos a serem realizados. Ao abrir este espaço para mostrar parte dessa produção acadêmica, o jornal A Cidade os coloca sob os holofotes, valoriza seus trabalhos e contribui para mostrar ao cidadão que é sim possível pensar, fazer e produzir de forma diferente. Sobretudo quando se tem profissionais habilitados projetando e realizando o sonho de uma cidade mais justa e igualitária", disse o presidente da Associação de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Ribeirão Preto (Aeaarp), Carlos Alencastre.

Inovação  

Para comemorar o aniversário de Ribeirão Preto, que ocorre no dia 19 de junho, em vez de mostrar o passado, como o olhar comum sugeriria, o A Cidade vai publicar um caderno cuja proposta é pensar a cidade para os próximos anos e, até mesmo décadas.  

Para isso, o jornal reuniu todos os coordenadores de cursos de Arquitetura e Urbanismo de instituições universitárias locais para sugerirem ideias que tenham em comum a inovação e o modo como ela pode mudar a relação do ribeirão-pretano com a sua cidade.  

"Não há limite de temas. A ousadia, na verdade, é a palavra-chave", disse o diretor de Jornais e Mídias Digitais do Grupo EP, Josué Suzuki.  

IPCCIC  

Para a urbanista e integrante do IPCCIC (Instituto Paulista de Cidades Criativas e Identidades Culturais), Vera Lucia Blat Migliorini, os formandos de Arquitetura e Urbanismo têm mostrado em seus trabalhos uma preocupação cada vez maior com os problemas urbanos.  

"Eles estão desenvolvendo estudos que envolvem, por exemplo, a mobilidade regional, novas alternativas para o planejamento habitacional, como a locação social, aproveitamento dos espaços ociosos e das potencialidades naturais e ambientais existentes na cidade ou a requalificação de imóveis históricos e o seu entorno", afirmou.  

Segundo ela, o IPCCIC tem incorporado essas ideias, mesmo porque, entre os seus pesquisadores, estão mestres e doutores também vinculados a várias das instituições universitárias de Ribeirão Preto.  

Carlos Alencastre (foto: Weber Sian / A Cidade)

Publicação terá 15 projetos  

Em fevereiro, uma reunião de representantes do jornal com coordenadores dos cursos de Arquitetura e Urbanismo dos centros universitários Moura Lacerda (André Avezum), Barão de Mauá (Flavia Olaia)e Estácio (Catherine DAndrea) e as universidades de Ribeirão Preto (Unaerp/Ruth Paolino) e Universidade Paulista (Unip/Carolina Moreira) definiu em três o número ideal de projetos por cada instituição. No entanto, o número será maior em função de matérias especiais que serão publicadas até a circulação do caderno de aniversário. 

O que é a AEAARP 

Com 70 anos de existência, a associação presidida por Carlos Alencastre (foto) tem um histórico de participação em debates ligados ao desenvolvimento da cidade. Nos primeiros anos, antes da construção da sua sede, os seus integrantes se reuniam para discutir a cidade em locais como porões de obras ou o luxuoso Palacete Innecchi, já derrubado. Tradicionalmente, a Aeaarp oferece estudos técnicos para a cidade, sobre temas como o Plano Diretor, meio ambiente, patrimônio e transportes, entre outros. Desde 2005, a entidade mantém o Fórum Permanente de Debates Ribeirão Preto do Futuro, cujo objetivo é proporcionar discussões multicisciplinares sobre o futuro da cidade.    

Conteúdo  

As ideias podem estar na revitalização de uma praça abandonada ou criação de uma ciclovia, mas também em novas propostas de se integrar um prédio histórico ao seu entorno ou a criação de áreas de lazer que incluam, também, espaços culturais ou de discussão política.

O que é o IPCCIC  

O Instituto Paulista de Cidades Criativas e Identidades Culturais completou cinco anos de criação em março e é o principal think tank de Ribeirão Preto. A base das suas produções é uma equipe multidisciplinar, que tem entre seus integrantes a urbanista Vera Migliorini (foto). O seu principal objetivo é estudar a realidade das cidades brasileiras e, a partir de diagnósticos específicos, com base nas referências culturais dos locais, criar programas de ações integradas entre Poder Público e sociedade para a transformação das cidades em lugares criativos. 

Projetos serão disponibilizados no portal  

A publicação do caderno especial de aniversário será precedida de uma série de matérias do jornal sobre o assunto, com textos que envolvam alternativas inovadoras de se pensar o desenvolvimento da cidade. Após a publicação, todos os projetos - e outros sugeridos pelos coordenadores - serão disponbilizados integralmente no portal ACidade ON para conhecimento da cidade.  

A urbanista Vera Migliorini (foto: Divulgação)




0 Comentário(s)