Uma aventura de 10 mil km pelas praias do Brasil

Bombeiro aposentado de Jardinópolis encara a partir de janeiro uma viagem de 500 dias a pé por todo o litoral do País

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Ricardo Canaveze
Arquivo pessoal
Edson Sorrentino Sestede diz que será um desafio pessoal enfrentar mais essa nova façanha; veja mais fotos na galeria (foto: Arquivo pessoal)

 

Um bombeiro aposentado de 58 anos, que já é avô, vai iniciar uma viagem de 10 mil quilômetros a pé e sozinho por todo o litoral brasileiro nos primeiros dias de 2018.

Natural de São Paulo e morador de Jardinópolis, Edson Sorrentino Sestede diz que será um desafio pessoal enfrentar mais essa nova façanha, que deve durar aproximadamente 500 dias, ou um ano e quatro meses.

A partida para a Expedição Litorânea, como a aventura está sendo chamada, está prevista entre os dias 10 e 12 de janeiro da Barra do Chuí (RS).

“Já existem alguns trechos de uma trilha que idealizei na cabeça. Serão 280 pontos de parada e a ideia é andar por 25 quilômetros ao dia”, conta.

VEJA FOTOS DAS AVENTURAS DE EDSON PELO MUNDO

ASSISTA AO VÍDEO

Edson coleciona aventuras pelo mundo e diz que há 30 anos costuma encarar esses desafios, que também incluem escaladas em rocha e gelo.

No currículo dele, as escaladas do Pico da Neblina (2.995 metros), no Amazonas, em 1988, o Aconcágua (6.962 metros), na Cordilheira dos Andes, em 1993, o Mont Blanc (4.808 metros), na França, e o Monte Kilimanjaro (5.895 metros), na Tanzânia, ambos em 1996. Ele conta que só parou de escalar porque descobriu um rompimento nos músculos dos ombros.

Para a Expedição Litorânea, o bombeiro aposentado prevê seguir do Rio Grande do Sul até o Parque Nacional do Cabo Orange, no Amapá, fronteira com a Guiana Francesa.

“O que pretendo com essa expedição é criar essa trilha, a maior de longo percurso no Brasil, e interligar parques nacionais. Além, de conhecer a cultura do litoral brasileiro”, diz.

Barraca e R$ 50 ao dia

Além da barraca para acampamento, Edson vai levar uma rede, um saco de dormir, e um mini fogareiro a gás. O peso da mochila não deve ultrapassar 20 quilos.

“Pretendo gastar até R$ 50 por dia, por isso vou utilizar áreas de camping, algumas delas selvagens. Vou preparar a minha própria comida e a caminhada será de dois dias consecutivos com um dia para descanso. Como sou cristão, vou guardar os sábados e não caminharei nesse dia”, conta o aventureiro, que diz ter paixão por fortes em praias.

Para os banhos, ele deverá utilizar cachoeiras e rios que cruzar pelo caminho.

Edson pretende se encontrar com a esposa Zilda a cada dois meses. Será ela quem irá até o ponto onde ele estiver na caminhada. “Além de familiares, algumas pessoas já fizeram contato comigo e vão me encontrar em pontos específicos”, afirma.

Toda Expedição Litorânea poderá ser acompanhada por meio do Facebook.

 

Arte / A Cidade
.


 


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.