Academia Ribeirãopretana de Letras promove ações de incentivo à literatura

Entidade celebra 70 anos de existência

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Da reportagem
Weber Sian / A Cidade
Marcos Zeri Ferreira: 'paixão pelas letras continua até hoje' (foto:Weber Sian / A Cidade)

 

Em 1947 nascia uma das mais tradicionais entidades de Ribeirão Preto. Por iniciativa de jovens estudantes, que naquela época costumavam se encontrar nos bancos da Praça XV de Novembro para declarar seus poemas, ler prosa e criar textos, nasceu a Academia Ribeirãopretana de Letras, com a ideia de “salvar o mundo pela cultura”.

Passados 70 anos, seus atuais 40 membros ainda não têm uma sede própria – reúnem-se no Centro Cultural Luiz Gaetani, na Vila Seixas, e outros espaços -, mas mantém o foco original, de promover atividades literárias, reforçar a produção da escrita e colocar em debate livros que estejam em destaque a cada época.

Atualmente presidida pelo escritor Marcos Zeri Ferreira, a entidade tem entre seus membros nomes atuantes no cenário literário da cidade, como os escritores Menalton Braff , Ely Vieitez Lisboa – colunista do A Cidade -, Antônio Carlos Tórtoro, Adriana Silva (presidente da Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto), o repórter investigativo Saulo Gomes , entre muitos outros que contribuem ativamente para as letras em Ribeirão.

“A Academia nasceu de uma paixão pelas letras e essa paixão continua até hoje, foi além do tempo. Além disso, ela é eclética. Tem médicos, escritores, filósofos, psicólogos e educadores, cujas obras passam por uma comissão e, se aceitos, contribuem para a literatura da cidade”, afirma o atual presidente.

Autor dos livros “Estrelas no Mar” e “Ecos”, o escritor e educador Antônio Carlos Tórtoro presidiu a entidade por dez anos (de 1996 a 2006) e não esconde o orgulho por ter deixado sua marca no grupo. “. Foi um trabalho grande e difícil, mas que me fez conviver com pessoas que, hoje, fazem parte da minha história e da história literária de Ribeirão”, diz.

Parceria

Entre as ações em prol da literatura que a academia desenvolveu ao longo de seus 70 anos em Ribeirão Preto está uma parceria com a Escola Estadual Otoniel Mota, que recebe os membros da Academia em atividades de incentivo e participação.

“Muitos acadêmicos foram alunos da escola Otoniel Mota, então, todo ano vamos até lá e são criadas oficinas literárias que possam inspirar e promover aos alunos uma paixão maior pela literatura. Isso gratifica a todos”, diz Marcos Zeri Ferreira. (Giovanna Romero, sob supervisão de Silvia Pereira) 


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.