Lá vem Paulinho com "Outras Canções"

Novo álbum do músico traz canções dos tempos de Barmania, que marcou época, e outras mais recentes

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Valeska Mateus
Matheus Urenha / A Cidade
Paulinho Brasília desistiu do bar, mas nunca da música (Foto: Matheus Urenha/ A Cidade)

 

Há nove anos, o icônico Barmania encerrava suas atividades na avenida Nove de Julho, em Ribeirão Preto, após uma década servindo como ponto de encontro de pessoas ligadas em cultura.

Além de músicos locais, o palco do espaço era ocupado também por seu proprietário, o cantor e compositor Paulinho Brasília, que desistiu do bar, mas nunca da música, com a qual mantém uma relação longeva.

Hoje com 55 anos, Paulinho compôs aos 9 sua primeira música: “Saudade de Brasília”, que deu nome ao primeiro álbum, com canções compostas entre seus 9 e 19 anos. De lá para cá, chegou a gravar mais dois, que não foram finalizados, mas o atual projeto autoral já está se tornando realidade através de uma “vaquinha virtual” realizada via site de financiamento coletivo Catarse.

É o álbum “Outras Canções”, que será disponibilizado em plataformas digitais. Seu lançamento, porém, será com um show presencial amanhã à noite, no bar e restaurante Lounge Alfama, para honrar a memória das noites de “banquinho e violão” do Barmania, que até hoje lhe rendem convites para Saraus pelo Brasil afora.

Entre as 12 músicas do álbum, aliás, estão composições da época do bar e outras mais recentes. Uma das mais antigas - e segundo Paulinho sempre pedida nas apresentações - é “Vila Rica”, uma parceria sua com Marcos Landell em homenagem à cidade mineira de Ouro Preto.

Outro destaque é “Dr. Socrátes”, que ele começou a compor em 1985, quando conheceu e se “encantou” pelo jogador ribeirão-pretano, mas ficou engavetada por anos. Um trecho diz: “Porque na vida o que interessa é fazer samba e amor até mais tarde...”, remetendo a uma canção de Chico Buarque que Sócrates adorava. “Fala da felicidade nas pequenas coisas da vida. Poucos meses antes do Magrão [Socrátes] morrer, mostrei a ele, que adorou”, lembra Paulinho.

Entre as canções mais recentes está “Tempo de Partida”, composta a partir de um texto de Lenir Boldrin escrito para seu pai, que havia morrido. “Fala da partida de uma forma leve e como destino de todos nós e comparo a morte com uma arte”, descreve Paulinho.

“Para mim está sendo uma oportunidade muito gratificante perceber que as pessoas querem que você revele todo o trabalho feito em uma carreira de muitos anos”, conclui.

Ferramenta salvadora

A ideia de lançar mão de financiamento coletivo para lançar seu projeto autoral foi proposta a Paulinho Brasília no ano passado, pelo saxofonista e produtor Jorge Nascimento. “Ele me procurou e sugeriu o projeto, e com uma equipe que domina essas ferramentas. Apostamos”, conta o músico.

“Percebi que daria para se fazer algo impactante à altura dos ouvintes de Paulinho por meio dessas plataformas como também atrair potenciais parceiros. E foi exatamente o que aconteceu”, diz Nascimento.

Para Paulinho, essa nova ferramenta é inestimável para a música autoral no Brasil, diante da dificuldade em levantar recursos. “É o caminho... todas as pessoas cujas histórias eu fiz parte, através do Barmania, agora vão contribuir para a minha história”, declara, emocionado.

Serviço

Sarau e lançamento do projeto ‘Outras Canções’

QUANDO: amanhã, a partir das 20h30
ONDE: Bar e Restaurante Lounge Alfama (rua João Penteado, 836 – Boulevard)
quanto: R$ 85 - open bebidas e comidas 


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.