Vá para o 'fim do mundo'

Nesta primeira parte sobre a cidade mais austral do planeta, paisagens únicas e o Trem do Fim do Mundo

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Valeska Mateus
Divulgação
Do Canal de Beagle se avistaa cidade emoldurada pela Cordilheira dos Andes (Foto: Divulgação)

 

Se chegar ao “fim do mundo” nunca esteve em seus planos de viagem, reconsidere. Ushuaia, que ganhou esse apelido por estar localizada no ponto mais austral (ao sul) do planeta, surpreende com paisagens de tirar o fôlego, além de ser o destino mais versátil da Patagônia Argentina.

Também é conhecida como “Terra do Fogo”, devido às inúmeras fogueiras acendidas pelos aborígenes que viviam por lá quando os espanhóis avistaram o território.

Ushuaia tem geografia e natureza deslumbrantes. Antes mesmo do desembarque, um olhar pela janela do avião já dá uma prévia do que o “fim do mundo” reserva: picos cobertos de neve da Cordilheira dos Andes, água brilhante do Canal de Beagle e bosques nevados no inverno transmitem uma sensação de criação do mundo e não do fim dele.

Montanhas, lagos e bosques ganham paisagens distintas no inverno e no verão. Entre os meses de junho e agosto, os dias são curtos – amanhece às 10h e o sol se põe às 17h30 - e todas as atrações da pequena cidade de 80 mil habitantes estão relacionadas à neve. Já no verão, quando os dias começam às 6h e anoitece após às 22h30, o cenário muda e os esportes de aventura, como trekking e canoagem, atraem os turistas europeus.

Como chegar

O voo de São Paulo com destino a Ushuaia tem, inevitavelmente, conexão em Buenos Aires - com duração mínima de 3h e que pode se estender a 8h. Da capital argentina são mais quase 4h até o Aeroporto Internacional de Ushuaia - Malvinas Argentinas, que fica próximo ao Centro da cidade.

Divulgação
Com 80 mil habitantes e uma avenida principal, a San Martin, Ushuaia é encantadora (Foto: Divulgação)

 

San Martin concentra o movimento

Na principal avenida da cidade, a San Martin, vale visitar a Galeria Temática, para se conhecer um pouco da história dos povos aborígenes que lá viveram, da descoberta e fundação de Ushuaia, assim como do famoso presídio que se tornou museu. É ainda nessa avenida onde se concentram os cafés, bares e lojinhas de suvenirs para passear nos finais de tarde.

Muito próximo está o porto de onde parte o imperdível passeio pelo Canal do Beagle. Formado pelo encontro dos oceanos Atlântico e Pacífico, os catamarãs nos levam bem próximos a pequenas ilhotas com povoado de aves “primas” dos pinguins e lobos marinhos, que descansam sobre as pedras.

E, ao final do passeio, é possível ver o Farol do Fim do Mundo,
Todas essas paisagens só competem com a vista da cidade que se tem do barco, quando ele se aproxima do porto. Seu casario colorido aos pés das montanhas e a Cordilheira dos Andes ao fundo desenham lindas paisagens.

Divulgação
Trem do Fim do Mundo - uma réplica do histórico trem usado pelos presidiários para abastecer o povoado de lenha. (Foto: Divulgação)

 

Trem do Fim do Mundo

Para admirar a natureza deslumbrante de Ushuaia não se pode deixar de incluir no roteiro o Parque Nacional da Terra do Fogo. Com 63 mil hectares, foi criado em 1960 em antigo território do povo Yámana, que por lá viveu, e conta com várias trilhas e bosques. E é do parque que parte o passeio do Trem do Fim do Mundo - uma réplica do histórico trem usado pelos presidiários para abastecer o povoado de lenha.

 


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.