Canto da comédia cotidiana volta a Ribeirão Preto

Realizado pela terceira vez na cidade, festival Fiato al Brasile traz récitas da ópera La Serva Padrona

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Da reportagem

Em cena: Leonardo Sidney, o barítono Davide Rocca e a soprano Yuka de Almeida Prado (foto: André Estevão / divulgação)


Uma comédia romântica em formato de ópera. Assim é "La Serva Padrona", escrita em 1733 pelo italiano Giovanni Pergolesi, que ficou conhecida no mundo todo. Com direção cênica de José Maurício Cagno e regência do maestro Lucas Galon, a obra terá duas récitas apresentadas em Ribeirão Preto, nas noites de hoje e no próximo dia 16 de agosto, no Teatro Campus da USP.  

As apresentações marcam os 65 anos da Escola de Enfermagem da USP de Ribeirão Preto e vale também como abertura do festival Fiato al Brasile, que chega a sua terceira edição este ano. A produção tem parceria da Escola de Enfermagem, da Faculdade de Música de Ribeirão Preto e da ALMA (Academia Livre de Música e Artes).  

No elenco estão a soprano Yuka de Almeida Prado (USP), o barítono italiano Davide Rocca (do Alla Scala, de Milão, e o ator Leonardo Sidney (ALMA).  

A história começa com o solteirão idoso Uberto (Davide) zangado e impaciente com sua serva, Serpina (Yuka), que se tornou arrogante e acha que é a dona de sua casa. Ele então ordena ao criado Vespone (Leonardo) que encontre uma mulher para casar-se com ele. A ideia é livrar-se de uma vez por todas de Serpina, o que não será muito fácil.  

As récitas serão acompanhadas pelas orquestras USP Filarmônica e Acadêmica Jovem da ALMA.
Segundo Lucas Galon, "La Serva Padrona" surgiu no contexto da ópera napolitana e segue "muitíssimo popular" até hoje. "É uma história muito simples e muito engraçada. Ela marca o início da influência dos ideais iluministas do fim da aristocracia na Europa. Se antes os assuntos eram sempre mitológicos, com La Serva Padrona ocorre um hábito de fazer ópera com assuntos mais cotidianos", explica.  

Para Galon, a ópera atrai o público por ser uma "arte total", que une música, teatro e até mesmo desenho, com os cenários. "Óperas históricas como esta foram compostas há mais 200 anos e são executadas no mundo inteiro por diversas companhias. Cada um faz seu tipo de montagem, mas as partituras são as mesmas. Essa que vamos apresentar é apenas a versão de uma ópera muitíssimo executada", pontua. "Realmente está muito bem feita. Foi trabalhado com muito esmero", conclui. (Bruna Zanatto, sob supervisão de Silvia Pereira) 

Serviço  

Ópera- La Serva Padrona
Quando: hoje, 20h30, e 16/8 (quinta), às 20h.
Onde: Teatro do Campus da USP
(Av. Bandeirantes, 3.900).
Grátis
Inf.: (16) 3315-3000


0 Comentário(s)