Ribeirão Preto recebe 14 Bis acústico no Theatro Pedro II

Há 39 anos na estrada, a banda 14 Bis retorna a Ribeirão com repertório que mescla lados B dos últimos álbuns e sucessos eternos

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Da reportagem

Palco: O grupo 14 Bis no show acústico, que traz esta noite ao palco do Theatro Pedro II (foto: Andreza Senna / divulgação)
 
Esta reportagem tem a garantia de apuração ACidade ON.  
Diga não às fake news!


Três amigos que amam o que fazem juntos. Assim pode ser descrito o grupo musical mineiro 14 bis, segundo seu vocalista e baixista Sergio Medeiros, o Sérgio Magrão. Formada ainda por Cláudio Venturini (guitarra e voz), Vermelho - ou José Geraldo de Castro Moreira - (teclados e voz) e Hely Rodrigues (bateria), a banda com 39 anos de carreira volta a Ribeirão Preto para show acústico esta noite, no palco do Teatro Pedro II.  

A promessas é de uma configuração diferente de repertório, seguindo proposta do produtor Roberto Mohamed, de resgatar músicas dos últimos quatro álbuns que não tiveram sucesso à época.  

"Nós ficamos meio acomodados porque foi uma repercussão muito grande nosso primeiro DVD ao vivo [2006], com os maiores sucessos da banda. Ficamos quase dez anos nesse repertório. Mas você também não pode parar nisso. Chegou a hora da gente mostrar alguma coisa diferente", explica o vocalista Sérgio Magrão.  

O resultado tem sido positivo, com o público aplaudindo muito nos shows músicas como "Carrossel", "Ciranda", "Pedra Menina", entre outras dos últimos álbuns além de "14 Bis Ao Vivo", "Outros Planos" (2004), "14 Bis e Boca Livre ao Vivo" (2000) e "Bis" (1999).  

"É muito fácil você fazer um show com 15 sucessos, não tem erro. Quando começam a colocar outras musicas, você fica meio receoso do público não aceitar, mas foi exatamente o inverso, o público adorou", comemora Magrão.  

Tanto é verdade que este show também será lançado em álbum, entre junho e julho deste ano. Será gravado em um teatro de São Paulo, contando com participações muito especiais, como a do cantor, tecladista, pianista e compositor Flávio Venturini, irmão de Cláudio e ex-integrante da banda, que saiu em 1987 para investir em carreira solo.

Show  

No show de hoje também tem participações especiais: de Cezar de Mercês (violão base, baixo e voz), integrante fundador da banda O Terço, e do músico Celso Nascimento (percussão).  

Segundo Magrão, a expectativa para esta noite é das melhores, pois a banda é velha conhecida de Ribeirão. "É uma cidade de que gostamos muito. Eu tenho uma relação com Ribeirão muito legal. Tem muito tempo que não tocamos ai", diz o vocalista. (Bruna Zanatto, sob supervisão de Silvia Pereira)  

Amizade e música

O 14 Bis surgiu em 1979, em São Paulo, após o fim da banda O Terço, que o mineiro Flávio Venturini e o carioca Sérgio Magrão integravam. Flávio decidiu montar uma banda em Belo Horizonte com o irmão, Cláudio, e Vermelho. Decidiu chamar Magrão.  

"Quando começamos , o show tinha nome, Nascente, mas a banda não", lembra. Apadrinhado por Milton Nascimento, o grupo logo fechou contrato com a EMI Odeon para o primeiro álbum, "14 Bis" (1979), que contou, claro, com produção de Milton.  

O grande sucesso mesmo veio com "14 Bis II", de 1980. "Foi praticamente o que mais vendeu de toda carreira", conta Magrão. O músico atribui o sucesso e a longevidade da banda, mesmo após a saída de Flávio Vejturini, à união e harmonia entre os integrantes. 

Serviço  

14 Bis Acústico ao Vivo
QUANDO: Hoje, 20h30
ONDE: Theatro Pedro II (rua Álvares Cabral, 370).
INGRESSOS: R$ 30 (inteira); R$ 15 (aposentado, maior de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor da escola pública com comprovante); R$ 9 (credencial plena).
INF.: (16) 3977-8111


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.