Celebração irlandesa em Ribeirão Preto

Com mistura de rock e música folclórica irlandesa, a banda Terra Celta encerra o 7ª Saint Patricks Festival

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Valeska Mateus

Terra Celta: Integrantes descrevem-se como "uma banda de fanfarrões" (foto: divulgação Pocbit)


A cultura irlandesa é celebrada mais uma vez a Ribeirão Preto com o Saint Patricks Festival, que chega a sua 7ª edição. Seis bandas sobem ao palco do evento, sendo a Terra Celta a atração principal, que fecha o dia de homenagens ao padroeiro da Irlanda.  

Bem fora dos padrões, a banda de fanfarrões de Londrina chega a bordo de trajes típicos irlandeses saiotes e xadrezes - e instrumentos exóticos para mostrar seu folk rock.  

O grupo independente que surgiu em 2005 faz um trabalho de vanguarda no cenário musical nacional ao fundir elementos da música celta com a brasileira. Ainda contagia o público com sua alegria.  

"A ideia de uma banda celta surgiu após eu assistir a um show de uma banda temática na festa de São Patrício, no tradicional pub paulistano OMalleys, numa época em que pouca gente comemorava essa data no Brasil", conta o vocalista e líder da banda, Élcio Oliveira.  

Ele explica que não existe uma fórmula pronta para a mescla musical que fazem. "Ora exploramos as cadências harmônicas brasileiras, ora as letras em português... Cada música é um processo empírico e vamos por tentativa e erro. Inclusive temos algumas que fizemos inúmeras versões até chegar a uma boa resposta do público e e satisfizesse nossa vontade de criar algo novo", detalha.  

A banda já tocou em duas versões do Rock In Rio, no Rio de Janeiro - em 2013, no palco da Rock Street, ano em que a temática era Reino Unido (Grã-Bretanha e Irlanda) - e em Lisboa (Portugal).  

Um show cênico e performático é a marca registrada da banda, bem como a interação com o público, "embora com todos hoje na casa dos 40, os pulos tenham diminuído e o foco seja mais na música", brinca Élcio.  

Ele conta que já foi várias vezes à Irlanda. "Muitos dos temas que usamos aprendemos nos festivais que fomos lá fora. Quanto mais você for pra lá, quanto maior for à troca de informação e pesquisa, mais rico é o repertório e vai se refletir em um som mais verdadeiro", comenta.  

Para ele, o Saint Patricks é uma oportunidade de festar com os amigos. Daí o seu sucesso. "Está explodindo no País, assim como as festas medievais", opina.
É a terceira vez que o grupo toca numa edição ribeirão-pretana.  

Dia do Padroeiro  

Comemorado em todo o mundo, o Saint Patrick´s Day é a festa anual que celebra a morte de São Patrício, padroeiro da Irlanda. Nesta data, os irlandeses se vestem de verde, pintam trevos no rosto e assistem aos desfiles pelas ruas. É geralmente celebrado no dia 17 de março. 

Sem chuva  

A novidade do festival este ano é o espaço fechado, levando-o a um novo formato. "Sem risco da chuva atrapalhar a festa... Priorizamos mais uma vez a presença do grupo Terra Celta, que tem a cara do Festival", explica o organizador, Ale Balbo.   

Antes da Terra Celta, outra banda paranaense agita o festival: os marujos da Confraria da Costa prometem incendiar o público com sua músicaque mescla ritmos folclóricos a bases de blues, rock e jazz. Além da estética, a banda curitibana traz a irreverência dos piratas nas letras irônicas de suas canções, permeando situações do cotidiano com a vida dos corsários.  

Serviço  

Saint Patricks Festival
QUANDO: Hoje, das 16h à 0h30
ONDE: Mansão Galo Bravo
(Rodovia Alexandre Balbo, km 332)
INGRESSOS: R$ 50 e
R$ 160 (open bar)


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.