Vôlei Ribeirão perde e Pacheco tem dor de cabeça

Técnico reconhece partida abaixo do esperado contra equipe de Campinas e mira evolução para estreia no Campeonato Paulista

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Luís Augusto

 

Não deu: Técnico Marcos Pacheco reúne jogadores para discutir estratégia durante último jogo contra o Campinas (foto: Rafael Gonçalves / FollowX Comunicação / divulgação)
 
Esta reportagem tem a garantia de apuração ACidade ON.  
Diga não às fake news!


Mesmo contando com os seis reforços contratados, o São Francisco Saúde/Vôlei Ribeirão não conseguiu fazer frente ao Vôlei Renata Campinas na semifinal da Copa São Paulo, no último sábado, em partida realizada no Ginásio do Clube Pirassununga.  

O bom aproveitamento no saque do adversário foi apontado pelo próprio técnico do time da cidade, Marcos Pacheco como um dos pontos que desequilibraram no confronto. Os campineiros venceram por 3 sets a 0, com parciais de 25/18, 25/17 e 25/21.  
Mesmo sendo ainda um primeiro jogo na temporada 2018/2019, Pacheco não gostou nada do que viu em quadra.  

"Infelizmente, jogamos abaixo do que acreditava que poderíamos jogar. Tivemos um ritmo muito forte dos treinos, mas não conseguimos repetir o que fizemos nesse período dentro do jogo. Tivemos um percentual de ataque muito ruim e não conseguimos colocar o time deles em dificuldade em nenhum momento. Não gostei porque esperava mais por tudo aquilo que vínhamos treinando", destacou.  

O treinador diz que mantém a confiança no que a equipe pode produzir e acredita que a falta de entrosamento também tenha atrapalhado.  
"A equipe tem que amadurecer e eu também tenho que aprender a lidar com isso. Afinal, temos vários jogadores com quem nunca trabalhei antes. A questão de entrosamento é que mais pega nesse começo. Nossa grande meta é extrair o máximo de todos os jogadores em um sistema que funcione da melhor maneira possível. A engrenagem tem que funcionar certinha e todos os jogadores têm que estar pensando igual em quadra", disse Pacheco.

Paulista  

O comandante do Vôlei Ribeirão terá o tempo como adversário para realizar ajustes na equipe. No próximo sábado, às 18h, a equipe volta a enfrentar o representante de Campinas, mas o duelo será válido pela abertura do Campeonato Paulista de Vôlei e acontecerá no Ginásio do Taquaral, em Campinas.  

"É um processo de construção que demanda tempo, mas é tudo muito dinâmico, porque no sábado já tem jogo de novo e o time tem que se apresentar melhor. Primeira coisa que estou fazendo é ajustar o time em função do que o Campinas pode jogar. Eles tiveram um saque muito agressivo e estamos treinando com bastante intensidade a recepção para nos adaptarmos ao estilo de jogo deles. Agora não teremos nenhuma surpresa", afirmou o treinador. 

Técnico quer reforços, mas clube manterá proposta pés no chão

Com 14 jogadores no elenco, o técnico Marcos Pacheco admite que pretende contar com mais dois reforços: um levantador e um ponteiro. Porém, a preocupação do clube e do presidente e atleta Lipe é de não extrapolar as finanças do clube.  

"Temos uma realidade financeira e não abrimos mão disso para cumprir com tudo o que foi prometido aos jogadores. Hoje, é esse time atual que podemos ter, mesmo sabendo que ainda precisamos de um terceiro levantador, que é uma posição muito específica e que não dá para improvisar, e um quinto ponteiro para formar o grupo. Vamos buscar com calma e sempre nos preocupando em ficar dentro da nossa realidade e com os pés no chão", informou Pacheco.  

Gabriel

Gabriel fez 10 pontos no jogo contra o Vôlei Renata Campinas e foi o maior pontuador do Vôlei Ribeirão. Vini e Vaccari, do adversário, foram os atletas que mais pontuaram no jogo, com 13 acertos cada.


0 Comentário(s)