Araraquara perdeu quatro empregos por dia em 2016

Indústria foi o setor que mais demitiu, porém, a crise atingiu também comércio e construção civil

    • ACidadeON
    • Fernanda Manécolo

As empresas de Araraquara demitiram em 2016 uma média de quatro pessoas por dia. O número é considerado alto e é reflexo da pior crise econômica vivida nos últimos tempos. Jailson Pereira de Almeida, de 39 anos, trabalhava na Iesa até setembro do ano passado. Ele foi desligado da empresa junto com outros 300. A Iesa, que é considerada o maior parque metalúrgico da América Latina, hoje está praticamente de portas fechadas.

"Ser demitido é uma das piores sensações que vivi. É muito triste ver o seu trabalho, o seu sustento indo embora. Além disso, ainda não consegui outro emprego", diz Almeida.

Amanda Rocha
Indústria foi o setor que mais demitiu em 2016 (Amanda Rocha)

 

Foi a indústria o setor que mais sofreu com a recessão brasileira e consequentemente que mais demitiu. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Minsitério do Trabalho, a indústria fechou 2016, com saldo negativo de 1,4 mil empregados, resultado de 3.747 admissões e 5.151 demissões.

O comércio foi o setor com o segundo pior saldo, -595, resultado de 7.098 admissões e 7.693 demissões.

A construção civil também fechou 2016 com déficit grande. Durante todo o ano foram 2.963 admissões e 3.310 demissões, que resultou em um saldo de -347.

Durante todo o ano de 2016 foram 29.112 mil novos empregos gerados pelas empresas de Araraquara, entretanto, 30.558 demissões fizeram a cidade fechar o ano com saldo negativo de 1.446 vagas.

De acordo com a pesquisadora Délis Magalhães, do Núcleo de Economia do Sindicato do Comércio Varejista de Araraquara (Sincomercio), que atua em parceria com o Núcleo de Conjuntura, Finanças e Empreendedorismo da Unesp Araraquara, o mercado de trabalho continua sem sinais de recuperação, ainda que haja um aumento do otimismo com a economia brasileira.

“A tão esperada retomada econômica não ocorreu no segundo semestre de 2016. A recuperação do mercado de trabalho vem se mostrando mais lenta do que as projeções iniciais", diz ela.

E, claro, com o aumento do desemprego, o comércio sofre bastante, pois a intenção de consumo das famílias continua estagnada nesse início de 2017. "Com um rendimento mais baixo e uma taxa de juros ainda alta, os consumidores permanecem cautelosos e evitam ao máximo a obtenção de crédito”, ressalta Délis.

Comparações
Segundo a pesquisadora, a diminuição de vagas nos estabelecimentos ocorreu devido à necessidade de redução de custos. “A retomada das contratações depende muito mais da capacidade financeira para realizá-las do que simplesmente de maior confiança ou melhores horizontes”, avalia.

No ano de 2015, o resultado do Caged já mostrava que Araraquara sofria com a estagnação econômica e a crise política brasileira. Naquele ano, a cidade teve 33.095 admissões e 35.057, com saldo negativo de 1.962 vagas. Para se ter uma ideia, 2015 foi ainda pior que 2016.

Já o ano de 2014 foi o último que Araraquara fechou com saldo positivo. Na época foram 41.187 admissões e 40.077 demissões, fechando com saldo de 1.110 postos de trabalho.

 

 


5 Comentário(s)

Comentário

Juliano

Publicado:

Tobias Jr Tem Muita Micro Pequena Empresa, que eh mais Digna que essa Empresa que Vc diz q é Ungida pelo Senhor e que tem Boas Perspctivas.. essa Empresa eh Tão "Ungida" assim e Não Honra Compromisso Trabalhista NENHUM...Não Paga os Direitos de Vcs que Estão Lá como Férias, 13, FGTS e etc e MUITO MENOS, TEM A DIGNIDADE DE PAGAR, QUEM ELA DISPENSA...QUER DESCARTAR PESSOAS, COMO SE FOSSEM FOLHAS DE PAPEL E COPOS DESCARTAVEIS....MUITO UNGIDA ESSA IESA MESMO VIU, HONRA MUITO O NOME DE ARARAQUARA E DE DEUS

Comentário

Abrailson

Publicado:

Não sei o que vcs estão falando. A Iesa nem desta cidade é. Pertence à Américo Brasiliense.

Comentário

Marcio Campos

Publicado:

Faturamento do varejo paulista atinge R$ 49,2 bilhões Entre as 16 regiões analisadas pela Federação, houve uma divisão exata entre crescimento e queda, quando oito apresentaram aumento no faturamento e outras oito registraram retração nas vendas em outubro, na comparação com o mesmo mês de 2015. Os piores desempenhos foram registrados pelo varejo das regiões de Osasco (-14,2%), Guarulhos (-4,8%) e Bauru (-4,6%). Já os melhores resultados foram observados nas regiões do ABCD (4,5%), Araraquara (3,8%) e Jundiaí (3,1%). FONTE: FECOMERCIO EM 24/01/2017

Comentário

José Roberto Rigoletti

Publicado:

A julgar pelo noticiário de vários meses contínuos, a Araraquara, logo, logo, restará o trio industrial Lupo-Nigro-Cutrale. E mais a Nestlé. Igualzinho aos anos 1970. A responsabilidade não cabe aos araraquarenses, mas àqueles que posaram em Brasília por mais de década e não viram nada.

Comentário

Tobias Jr

Publicado:

Lamentável o trecho da matéria onde diz que a Iesa esta praticamente de portas fechadas, isto demonstra total falta de conhecimento sobre a situação atual da empresa, são cerca de 600 funcionários trabalhando o que a coloca entre as maiores geradoras de emprego da cidade, a empresa realizou vendas recentemente e tem boas perspectivas para esse ano. Esse papinho de portas fechadas, falência, etc.. é típico de sindicalistas e ex funcionários que estão descontentes com a retomada dessa potencia metalúrgica chamada Iesa. Essa empresa é ungida pelo senhor e em breve estará contratando mão de obra.