Ovos de Páscoa caseiros são garantia de renda extra

Turismóloga Ariana Bárbara é uma das que espera elevar a renda em até 60% neste mês com a venda do produto

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Gabriela Virdes
Milena Aurea / A Cidade
Turismóloga Ariana Bárbara vai aproveitar o tempo livre para produzir os ovos de Páscoa; meta é vender ao menos 50 neste ano (foto: Milena Aurea / A Cidade)

 

Após um início de ano repleto de contas a pagar como IPTU, IPVA e material escolar, garantir uma renda extra é uma excelente opção para manter o orçamento em dia e fazer uma reserva financeira para passar 2017 com mais tranquilidade. Neste contexto, as datas comemorativas são sempre uma boa opção para quem deseja faturar e a Páscoa oferece um grande leque de atividades.

Para Carlos Curioni, CEO do Elo7, todas as datas sazonais são períodos no ano onde os consumidores tendem a procurar e comprar produtos com essas temáticas.

“São épocas muito relevantes e que merecem a atenção do micro e pequeno empreendedor, para que seja possível aproveitar a oportunidade e gerar renda a partir disso”, diz.

E é exatamente isso que a turismóloga Ariana Bárbara, 27 anos, faz. “Sempre dou um jeito de ganhar um dinheiro extra e em cada data comemorativa penso em algo diferente. E adoro cozinhar, o que ajuda muito”, diz.

Ariana trabalha em um hotel e não tem rotina organizada. Mesmo assim consegue conciliar o trabalho principal com a atividade extra. “Uso o tempo livre para dar conta das encomendas”, conta a turismóloga, que pretende vender cerca de 50 ovos de chocolate na Páscoa deste ano.

Segundo ela, o retorno vale a pena. “Aumento minha renda em cerca de 40%”, frisa. “Este ano pretendo gerar um incremento de 60%, pelo menos. Para isso é preciso foco, divulgação e chocolate de boa qualidade”, reforça Ariana, que receberá encomendas até o final de março.

Caseiros

Para a técnica em nutrição Vânia Rosa, de 49 anos, a Páscoa é uma boa época para empreender. “Isso porque, os consumidores fogem dos altos preços dos ovos de chocolate dos supermercados e dão preferência aos caseiros, por serem produtos diferenciados.”

Vânia trabalha na área administrativa de uma empresa de embalagem. E, para ter uma renda extra, produz diversos produtos de chocolate. “Mas, produzo não só na Páscoa, mas o ano todo. Além dos ovos de chocolate, faço trufas, bolo de pote, pão de mel”, diz. “Com isso, tenho um incremento de 30% a 40% na renda. É muito trabalho, mas tem retorno. Vale a pena”, garante. 

Antes de se arriscar, é preciso planejar bem 

Mas, antes de se arriscar a vender algum produto nesta Páscoa é preciso conhecimento e planejamento. Senão, a renda extra poderá se transformar em prejuízo.

“O que mais se vê é que, por falta de conhecimento técnico e preparação muitas iniciativas de renda extra não têm o retorno esperado”, afirma Cláudio Gaspar de Melo, docente da área de gestão de negócios do Senac Ribeirão Preto.

Por isso, antes de dar início a qualquer negócio, ele orienta que é preciso saber se há público para o produto. “Além disso, fazer cursos de produção, até mesmo para conhecer o custo de todo o processo, se faz necessário”, garante.

Melo reforça ainda que o empreendedor não pode esquecer do processo de produção. “Saber a quantidade certa de insumos que deverá comprar para não perder dinheiro em forma de produto”, orienta. 

Weber Sian / A Cidade
A técnica em nutrição Vânia Rosa complementa a renda com a fabricação de produtos de chocolate o ano inteiro (foto: Weber Sian / A Cidade)

 

Energia e gás devem entrar no preço do produto final

Segundo Cláudio de Melo, docente do Senac Ribeirão, as pessoas que produzem algo em casa, na maioria das vezes, esquecem de contabilizar alguns custos como energia, tempo da mão de obra, água, gás, entre outros, no valor final do produto. “E é exatamente esse conjunto de custo que traduz o que realmente foi gasto naquela produção”, explica. Para Carlos Curioni, CEO do Elo7, fazer uma pesquisa de mercado para verificar o preço médio do produto é válido. “Também é importante que todos os custos para a produção desse item sejam contabilizados, para que seja possível calcular a margem e garantir que o empreendedor obtenha um lucro satisfatório na venda”, frisa.

Tudo na ponta do lápis

Planejamento e organização são as palavras-chave para quem pretende empreender de forma sazonal. Por isso, definir o número de encomendas e a quantidade certa de insumo é fundamental para obter o lucro esperado. Para a turismóloga Ariana Bárbara, a organização é importante não só para não deixar de entregar as encomendas. “Mas, também para não errar nas quantidades e acabar comprando além do necessário e perder no lucro”, explica. “Tem que estar tudo na ponta do lápis, tudo bem organizado. Inclusive quanto às entregas, que devem ser organizadas por região para não gastar combustível demais”, orienta.

Produtos dever ser diferenciados

Financeiramente, vale muito a pena se dedicar a alguma atividade para obter renda extra na Páscoa. Para isso, é preciso se programar e oferecer algo diferente. Assim, com a atividade, a pessoa conseguirá de 80% a 180% de margem de lucro. Porém, o produto não pode deixar de ter qualidade, matéria-prima boa, e inovar para chamar a atenção dos clientes. Precisa de um algo a mais, um diferencial para se destacar em meio a tantas outras pessoas que empreendem na data. Além disso, o empreendedor deve levar em conta o custo com os insumos para a produção, mão de obra, energia e água, na hora de definir o valor final. Só assim garantirá o dinheiro extra esperado. Carlos Henrique Piassa, consultor financeiro.

Arte / A Cidade

 


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.